Em caso raro e inédito, filhotes de tartaruga-cabeçuda nascem no litoral paranaense

Um nascimento raro e inédito em Pontal do Paraná: cinco tartarugas-cabeçuda seguiram em direção ao mar paranaense depois de uma desova incomum registrada no mês de janeiro. Esse é o primeiro registro de reprodução da espécie Caretta caretta em areias do Paraná, que foi acompanhado pelo Centro de Estudos do Mar (CEM) da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

A bióloga Liana Rosa, que faz parte da equipe que acompanhou o trajeto dos filhotes, comemora o fato, que é considerado uma conquista dos trabalhos de preservação da vida marinha.

O ninho tinha sido encontrado por frequentadores da praia de Carmery em janeiro. Os ovos foram levados a um local com maior probabilidade de desenvolvimento. É preciso que a areia mantenha uma temperatura acima de 28ºC para que os filhotes se desenvolvam.

Por isso, os principais sítios de desova no Brasil estão no Nordeste. Ao todo, eram 131 ovos. Outros filhotes também chegaram a eclodir.

O nascimento anima a equipe que faz o acompanhamento das espécies na região. Mudanças na área de costa podem ter influenciado na alteração de comportamento da tartaruga. Apesar de ser a primeira vez que esse tipo de reprodução é registrada no Paraná, a bióloga espera que outras fêmeas também usem a área para desovar.

O nascimento foi também acompanhado por equipes do projeto Recuperação da Biodiversidade Marinha (Rebimar). Os pesquisadores acompanham espécies marinhas como arraias, tubarões e tartarugas, para verificar a situação da saúde dos animais.

O coordenador do projeto, Robin Loose, destaca que o nascimento das tartarugas é resultado de muito trabalho para a conservação ambiental.

A operação de deslocamento dos ovos teve autorização do Centro Tamar, via Projeto de Monitoramento de Praias da Bacia de Santos. É importante lembrar que mexer no local de desova destes animais sem autorização é crime ambiental.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*