Gaeco vai indiciar pelo menos 5 pessoas em Londrina

Pelo menos cinco pessoas, entre vereador, funcionários públicos e empresários, serão indiciados em inquérito policial do Grupo de Combate ao Crime Organizado (Gaeco), em Londrina. O relatório final das investigações sobre a compra de votos para barrar a Comissão Processante que irá apurar o envolvimento do prefeito Barbosa Neto no uso de dois vigias pagos com dinheiro da Prefeitura na rádio de propriedade da família do prefeito vai ficar pronto até o final da tarde de hoje. De acordo com o delegado do Gaeco, Alan Flore, cinco indiciados estão definidos: o ex-servidor e empresário Ludovico Bonato, amigo de Barbosa Neto, o ex-secretário Marco Cito, coordenador eleitoral do PDT, o chefe de gabinete Rogério Ortega, o diretor de Participações da Sercomtel e ex-chefe de gabinete Alysson Tobias de Carvalho, e o vereador Eloir Valença (PHS).

Todos devem ser indiciados por corrupção ativa – com pedidos de pena de 2 a 12 anos de prisão. Eles ainda podem ser indiciados por outros crimes que supostamente teriam sido praticados. Até o final do dia, outros devem ser indicados em inquérito. No entanto, o delegado adiantou que não foi observada nenhuma relação direta entre a compra de votos e o prefeito Barbosa Neto – ouvido ontem na condição de testemunha.

Ainda hoje serão ouvidos dois funcionários da Sercomtel. Outros indícios de crime estão sendo observados, mas o delegado preferiu não falar sobre o caso ainda para não atrapalhar as investigações que ainda estão sendo feitas.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*