Produtores mantêm ordenha, mas precisam descartar todo o leite

Foto: Divulgação/ OCEPAR

Por dificuldade de escoamento, provocada pela greve dos caminhoneiros, produtores de leite do Paraná estão precisando descartar o produto, ao mesmo tempo em que precisam manter todos os gastos com a produção. Eles seguem fazendo a ordenha das vacas para depois jogar a maior parte do leite fora. Na Cooperativa Witmarsum, em Palmeira, a cerca de 80 quilômetros de Curitiba, o descarte acumulado equivale à produção de três dias, ou seja, cerca de 210 mil litros de leite. O diretor-gerente da cooperativa, Jefferson Vieira, diz que os produtores vivem um impasse, porque precisam continuar acumulando custos, mas sem a possibilidade de vender a produção.

Uma pequena parte do leite é aproveitada na produção de derivados, como queijo e requeijão. A doação para escolas é proibida, porque o produto não é pasteurizado. Muitas propriedades, segundo o diretor da cooperativa, também não estão recebendo ração para tratar os animais.

O diretor da Cooperativa Witmarsum diz que os agricultores compreendem as dificuldades que o setor de transporte enfrenta com a alta dos combustíveis. Mas segundo Jefferson Vieira, o prejuízo no agronegócio é incalculável, especialmente porque os agricultores vão levar algum tempo para se recuperar das perdas acumuladas neste momento.

O Sistema Ocepar, que reúne as cooperativas do Paraná, estima que 3 milhões de litros de leite estejam deixando de ser processados por dia. As cooperativas também estão deixando de abater diariamente cerca de 12.700 cabeças de suínos; 2,3 milhões frangos; e 180 mil tilápias.

 A Associação Brasileira de Proteína Animal (ABPA) estima que 1 bilhão de aves e 20 milhões de suínos possam morrer nos próximos dias pela falta de ração no campo. As propriedades que ainda têm estoques estão fracionando a alimentação dos animais para prolongar ao máximo a oferta. A Associação tem um registro de 152 plantas frigoríficas de aves e suínos paradas, e 220 mil trabalhadores com atividades suspensas.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*