Sem suprimentos, hospitais do Paraná suspendem cirurgias eletivas e racionam uso de materiais

(Foto: divulgação/Facebook Fundação Municipal de Saúde de Foz do Iguaçu)

O Hospital Municipal Padre Germano Lauck, em Foz do Iguaçu, suspendeu as cirurgias eletivas marcadas a partir da tarde desta quinta (24). Segundo a direção da instituição, a medida foi adotada por causa da paralisação dos motoristas de caminhões. Com a entrega de medicamentos e insumos afetada, a unidade suspendeu as cirurgias eletivas para priorizar os atendimentos de urgência e emergência e evitar o desabastecimento de material. O retorno das atividades será feito somente após o reabastecimento dos setores.

O mesmo acontece com o Hospital Universitário do Oeste do Paraná (HUOP), em Cascavel. As cirurgias eletivas foram desmarcadas e os funcionários foram orientados a racionar itens que não prejudiquem os atendimentos, economizando o possível para que não falte nos próximos dias. O HUOP é ligado à Universidade Estadual Oeste do Paraná, que suspendeu as atividades acadêmicas a partir desta quinta, até que a paralisação dos caminhoneiros termine.

Na região de Curitiba, o Hospital e Maternidade São José, em São José dos Pinhais estabeleceu um plano de contingência e também suspendeu temporariamente as cirurgias eletivas. A empresa que fornece oxigênio para o Hospital não consegue se deslocar até a central de distribuição. Para não zerar o estoque, o material está sendo usamos somente para os pacientes da UTI Adulto e Neo Natal. Caso a paralisação seja encerrada ainda esta semana, as cirurgias eletivas vão ser retomadas na segunda-feira (28).

O Hospital Evangélico, a Santa Casa, o Hospital de Clínicas e o Hospital do Trabalhador mantêm as atividades normalmente. Por meio da assessoria de imprensa, a direção técnica do Evangélico afirma que o estoque de medicamentos e suprimentos está em dia pelo menos até a metade da semana que vem.

(Foto: divulgação/Google Street View)

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*