Campanha de vacinação contra a paralisia infantil e o sarampo se aproxima do fim com cobertura baixa no Paraná

 Campanha de vacinação contra a paralisia infantil e o sarampo se aproxima do fim com cobertura baixa no Paraná

Foto: Valdecir Galor/SMCS (arquivo)

Foto: Valdecir Galor/SMCS (arquivo)

A quatro dias do fim da campanha nacional de vacinação contra o sarampo e a poliomielite, o Paraná ainda está longe de alcançar a meta da Organização Mundial da Saúde de 95% do público-alvo. O que parece é que as pessoas não estão muito preocupadas com a hipótese de enfrentar qualquer uma das doenças dentro de casa, e por isso descuidam da saúde dos filhos.

O resultado é um ambiente no muito vulnerável no Brasil, que já tem novos casos de sarampo especialmente na região norte, e que pode, em breve, ter de encarar a volta de outro vilão: a pólio. Quem já teve a doença sofre até hoje e torce para que as crianças sejam imunizadas. É o caso do Marcos Renato Figueroa, que integra a diretoria da Associação do Grupo de Apoio da Síndrome do Pós-Pólio do Paraná e conversou com a BandNews.

Ao todo, 581.309 entre 12 meses de vida e cinco anos incompletos precisam ser imunizadas contra as duas doenças no Paraná. Mas, até agora, a Sesa, Secretaria de Estado da Saúde, contabiliza a distribuição de aproximadamente 423,5 mil doses contra a pólio, ou seja, 72,8% do total, e de pouco menos de 421,2  doses contra o sarampo, o que representa 72,4%.

De acordo com o órgão estadual, a 1ª Regional de Saúde – que engloba sete municípios do litoral – é a que tem o pior cenário, sendo Morretes e Paranaguá os que mais preocupam. Mas a 2ª Regional, formada pela capital mais as 28 cidades da região metropolitana, também é sinônimo de alerta. É o que explica João Luís Crivellaro, diretor do Centro Estadual de Epidemiologia.

A diferença na cobertura vacinal das doenças tem motivo: é que apesar da recomendação de que até mesmo as crianças já protegidas recebam novas doses, há regras diferentes para uma e outra imunização. Crivellaro fala ainda das regionais de saúde com bons índices de distribuição.

Entre os países que têm alta circulação do vírus do sarampo aparecem a Venezuela, que faz fronteira com o Brasil, além de Alemanha, Inglaterra e Portugal, por exemplo, que ficam na Europa. O Paraná, no entanto, teve o último caso de sarampo no ano 2000.

Por também ter origem viral, a poliomielite é transmitida da mesma forma e entra na corrente sanguínea. Na sequência, o poliovírus alcança e ataca o sistema nervoso via medula espinhal e tronco cerebral e, em casos mais graves, pode até matar.

Para que uma criança seja imunizada, basta que o responsável apresente um documento de identificação dela. Também é recomendado que a pessoa leve junto a carteira de vacinação do paciente.

Em Curitiba, mais de 46 mil doses da vacina tríplice viral (que protege do sarampo, da caxumba e da rubéola) já foram aplicadas, o que representa 52,6% do público-alvo. Já a imunização contra a pólio tem cerca de 50 mil aplicações, ou seja, 56,9% da meta.

Para ampliar o acesso às unidades básicas de saúde da cidade nessa reta final da campanha, a Prefeitura determinou uma mudança no horário de atendimento de quase todas as salas de vacina. Até a próxima sexta (31), quando a iniciativa termina em todo o país, esses espaços funcionam até as 19 horas, com exceção das unidades Caximba, Dom Bosco, Moradias da Ordem, Pompéia, Palmeiras e Santa Rita.

O Brasil tem mais de 11 milhões de meninos e meninas dentro da faixa-etária que é alvo da campanha. Mas, ao menos por enquanto, segundo o Ministério da Saúde, nenhum estado brasileiro atingiu a meta da OMS.

Band News Curitiba - 96,3 FM

A BandNews Curitiba está na cidade desde 2006. A emissora caiu no gosto do curitibano e, atualmente, está entre as dez rádios mais ouvidas da cidade.

Paraná está oficialmente livre da epidemia H3N2

Paraná está oficialmente livre da epidemia H3N2

A notícia foi divulgada pela Secretaria de Estado da Saúde

Programa Opera Paraná deve realizar 60 mil cirurgias eletivas

Programa Opera Paraná deve realizar 60 mil cirurgias eletivas

A implantação do programa tem por objetivo diminuir as filas de espera

3 pessoas se afogam e precisam ser socorridas em Caiobá

3 pessoas se afogam e precisam ser socorridas em Caiobá

Adolescentes foram retirados do mar conscientes e passam bem