Ex-presidente da OAS, deixa a prisão e passa a cumprir pena em casa

Foto: Justiça Federal/Reprodução

Depois de fechar acordo de delação premiada e ter a colaboração homologada pelo Supremo Tribunal Federal, o ex-presidente da empreiteira OAS, Léo Pinheiro, passa a cumprir prisão domiciliar a partir desta terça-feira (17). Pelo acordo, o empreiteiro ainda será monitorado por uma tornozeleira eletrônica.

O empresário deixou a carceragem da Polícia Federal, em Curitiba, onde estava detido desde setembro de 2016, e participou na tarde de hoje de uma audiência na Justiça Federal para a instalação da tornozeleira e para receber as instruções em relação ao uso correto do equipamento. Não há informações sobre o local onde cumpre prisão domiciliar.

O acordo de colaboração do empresário foi fechado em janeiro deste ano pela Procuradoria Geral da República (PGR) e enviada, em setembro, para o STF. O conteúdo da delação permanece em sigilo. Léo Pinheiro já foi condenado em cinco ações penais decorrentes da operação Lava Jato.

O empreiteiro chegou a ser preso duas vezes – a primeira vez em novembro de 2014, durante a Operação Juízo Final — 7ª etapa da Lava Jato. Ele deixou a prisão por meio de um habeas corpus em março de 2015. O empresário voltou a ser preso um ano e meio depois, em setembro de 2016, após ser alvo de novas diligências da investigação.

]Reportagem: Thaissa Martiniuk