PolíticaGeral

Manifestação pendura cabides contra novos cargos comissionados

O protesto faz sugestões de como o dinheiro poderia ser melhor investido

 Manifestação pendura cabides contra novos cargos comissionados

Divulgação/Geld

Um grupo de manifestantes se reúne nesta quinta-feira (12), na Assembleia Legislativa, contra o projeto de lei que autorizou a criação de 542 cargos comissionados na esfera pública. O protesto tem o objetivo de pressionar o governador Ratinho Junior (PSD) a vetar a proposta, cujo impacto financeiro foi calculado em pelo menos R$ 84 milhões por ano. A intervenção pendurou 542 cabides, representando cada cargo comissionado.

O diretor político do grupo que organizou a manifestação, Rodrigo Marcial, conta que cada cabide traz pendurando uma sugestão de como esse dinheiro poderia ser melhor aplicado:

No período da aprovação do projeto que autoriza a criação de 542 cargos comissionados, o presidente da Assembleia Legislativa do Paraná, Ademar Traiano (PSDB), defendeu que os cargos são necessários para melhorar os serviços no Legislativo, no Ministério Público e no Tribunal de Justiça:

A manifestação foi organizada pelo Grupo de Estudos Liberalismo e Democracia, que reúne professores e estudantes das Ciências Jurídicas, Econômicas e outras áreas de conhecimento.

Os cabides seguirão expostos na Praça Nossa Senhora de Salete até 18h30.

Digiqole ad

Band News Curitiba - 96,3 FM

TRE-PR sedia teste dos sistemas de candidaturas e propaganda eleitoral

TRE-PR sedia teste dos sistemas de candidaturas e propaganda eleitoral

Evento é realizado em Curitiba de segunda (23) a sexta-feira (27)

Saúde presta contas ao Legislativo na terça (24)

Saúde presta contas ao Legislativo na terça (24)

Câmara deve discutir recomendação do uso de máscaras em ambientes fechados e com aglomeração

“Só Deus me tira do cargo”, diz Bolsonaro em Curitiba

“Só Deus me tira do cargo”, diz Bolsonaro em Curitiba

O presidente da República cumpre agenda em Curitiba durante este sábado (21)

E-mail racista teve remetente forjado, aponta Câmara

E-mail racista teve remetente forjado, aponta Câmara

Resultado preliminar foi apresentado ao TJ e justifica recurso que pode reverter suspensão de julgamento