Caso Andriele: investigação encontra sangue no carro de policial apontado como suspeito

(Foto: Ricardo Pereira/ BandNews Curitiba)

A Polícia Civil aguarda o resultado do exame de DNA que vai indicar se o sangue encontrado no carro do policial militar Diogo Coelho Costa é de Andriele Gonçalves da Silva, de 22 anos. A estudante de Direito desapareceu na madrugada do último dia 9. O ex-marido dela, o pm, é o principal suspeito.

Ele foi internado para tratamento psiquiátrico um dia após o desaparecimento. O veículo dele foi apreendido e, com o auxílio do luminol – um reagente químico, os policiais identificaram manchas de sangue no porta-malas, no banco traseiro e na parte interna das portas. O resultado pode demorar até trinta dias para sair.

Dentro do apartamento onde Andriele morava, a perícia encontrou duas munições de pistola .40, a mesma utilizada pela Polícia Militar. Elas estavam picotadas, ou seja, o gatilho foi puxado ao menos duas vezes, mas a arma falhou. A polícia acredita que Diogo possa ter levado Andriele embora, durante a madrugada, a matado e escondido o corpo. Horas após o sumiço, ele foi visto por várias pessoas com o rosto arranhado.

Aos familiares de Andriele, Diogo declarou que se machucou durante uma ocorrência. O carro dele, que segundo amigos estava sempre muito limpo, apareceu com marcas de barro e poeira, assim como os coturnos, também sujos. O que pode indicar que Diogo dirigiu e andou por uma estrada de chão assim que Andriele sumiu.

(Foto: reprodução/Facebook)

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*