Cotado para candidatura a vice-presidente, Aldo Rebelo evita falar sobre saída do PC do B

Em Curitiba nesta sexta-feira, o ex-ministro e ex-deputado federal Aldo Rebelo não descartou a possibilidade de deixar o PC do B e desconversou sobre os rumores de que sairia candidato a vice numa eleição indireta para a Presidência da República.

Como palestrante do IV Simpósio SOS Brasil Soberano, Rebelo divulgou o manifesto suprapartidário pela união nacional, que defende agregar forças políticas, econômicas e sociais em torno de uma proposta de reconstrução e afirmação do país para superar a crise atual. Filiado ao Partido Comunista do Brasil desde 1985, o ex-ministro pode deixar a legenda como forma de viabilizar uma candidatura ao lado de Rodrigo Maia, do DEM, atual presidente da Câmara dos Deputados. Aldo Rebelo não esconde que tem divergências com o PC do B, mas diz que ainda não discutiu a possibilidade de migrar para outro partido, apesar de já ter recebido convites, como do PSB.

O ex-ministro criticou o teor da sentença que condena o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva. Ele também criticou as instituições que, em nome do combate à corrupção, tentam substituir a política e o exercício da democracia.

Além de Aldo Rebelo, participaram do seminário jornalistas, cientistas e políticos, como a senadora Gleisi Hoffmann, do PT. O simpósio faz parte do projeto Brasil Soberano, uma iniciativa da Federação Interestadual de Sindicatos de Engenheiros (Fisenge) e do Sindicato dos Engenheiros do Rio de Janeiro (Senge-RJ). Em Curitiba, tem o apoio do Sindicato dos Engenheiros do Paraná (Senge-PR).

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*