“Paraná precisa dar conta de imigrantes que já tem antes de receber venezuelanos”, diz voluntária

Fotos: Fotos Públicas / Jorge Mamani/ ABI

O Paraná é um dos quatro estados que deve receber migrantes venezuelanos que entraram no Brasil por Roraima. O presidente Michel Temer anunciou na segunda-feira (12) a criação de um comitê para acompanhar a migração venezuelana. Temer deve editar nesta quinta-feira (15) medida provisória para liberar recursos para Roraima, estado que é porta de entrada de muitos migrantes, não .

O presidente destacou que não vai proibir que refugiados entrem no Brasil. Segundo a Polícia Federal (PF), aproximadamente 42 mil venezuelanos permanecem em Roraima. Para não sobrecarregar o estado do Norte, parte desse grupo deve ser encaminhado pelo governo federai ao Paraná.

Ao longo de 2017, o Centro de Informação para Migrantes – ligado à Seju – cadastrou oficialmente a chegada de apenas 17 venezuelanos, entre 615 imigrantes de outras nacionalidades registrados pelo órgão.

A Pastoral do Migrante, ligada à igreja católica, em Santa Felicidade, atendeu neste ano apenas três venezuelanos em Curitiba. A maioria dos atendimentos é de Haitianos. A pastoral do migrante em Santa Felicidade atendeu  quatro mil pessoas vindas do país caribenho até o fim do ano passado.

Entre os latino-americanos, predominam os colombianos, mas muito menos do que os haitianos. A pastoral oferece orientações sobre documentação, passaporte, contatos com a Polícia Federal, cadastro para ajudar na alimentação e encaminhamento para trabalho.

De acordo com a pastoral, com o desemprego, muitos haitianos, principalmente os que chegaram recentemente, estão pedindo para voltar ao país de origem ou migrar para outros países. Os mais antigos se colocaram no mercado e até frequentam universidades.

A advogada Ivete Caribé, voluntária da Casa Latino-Americana, a Casla, afirma que o Paraná não tem estrutura para receber mais imigrantes.

 

02.15 – VENEZUELANOS PARANA 1

A representante da Casla compara a intervenção com outra em que o governo federal enviou estrangeiros ao Paraná. Segundo ela, a situação mudou e não há mobilização do Estado para dar conta da demanda.

 

02.15 – VENEZUELANOS PARANA 2

A voluntária afirma que estranha o envolvimento do governo federal neste caso, sendo que refugiados de outras nacionalidades carecem de auxílio há mais tempo.

 

02.15 – VENEZUELANOS PARANA 3

O plano anunciado por Temer prevê o reforço na fronteira. De acordo com o governo federal, serão investidos 15 milhões de reais e haverá um aumento de 100 para 200 policiais que atuam no pelotão de fronteira de Roraima. Não há previsão de recursos ao Paraná. A Secretária de Estado da Justiça, Trabalho e Direitos Humanos, Seju, informou que tomou conhecimento de que o Paraná “muito provavelmente será um dos que deverá receber parte desses migrantes”, mas destacou que o estado ainda não recebeu nenhum comunicado oficial de qualquer órgão ligado ao governo federal.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*