Retorno ao trabalho na Assembleia é marcado por protestos

Foto: Dálie Felberg/Alep

A primeira sessão em plenário da Assembleia Legislativa do Paraná de 2018 começou com polêmica. Após menos de uma hora, a sessão teve que ser suspensa pelo presidente da Casa, o deputado estadual Ademar Traiano (PSDB), por causa de protestos de servidores públicos estaduais que assistiam a apresentação do plano de Governo do Executivo nas galerias do Plenário da Assembleia Legislativa.

Após o recesso, os trabalhos estavam marcados para serem retomados na tarde de hoje (05). No entanto, no momento em que o representante do governador Beto Richa, o chefe da Casa Civil Valdir Rossoni, compareceu à Tribuna do Plenário, acabou sendo interrompido por vaias. Os servidores protestaram, principalmente, contra o congelamento das remunerações do funcionalismo.

Em discurso, Rossoni afirmou que os salários do funcionalismo público estavam em dia e que a prioridade deste governo é a educação. A interrupção dos manifestantes aconteceu quando o Chefe da Casa Civil convidou os servidores públicos a participarem do lançamento do projeto “Escolas Mil”, no dia 28 de fevereiro.

Na tarde de hoje, o Sindicato que representa os professores estaduais entregou uma carta ao governo na qual pedia que: a jornada da hora-atividade fosse revista; a não redução dos salários dos contratados pelo PSS (Projeto Seletivo Simplificado do Paraná – realizado pela Secretaria Estadual de Educação para contratação temporária de professores, pedagogos, intérprete de libras, auxiliares de serviços gerais e técnicos administrativos); o reajuste do auxílio transporte, alimentação e da Data-Base.

Segundo Valdir Rossoni, o sindicato nunca havia levado reinvindicações de melhoria nas escolas ao Governo do Estado.

Antes da sessão Plenária, o líder do Governo na Assembleia Legislativa, o deputado estadual Luiz Cláudio Romanelli se mostrou confiante em relação aos trabalhos da Casa, principalmente, por se tratar de um ano eleitoral.

De acordo com o presidente da Alep, Ademar Traiano, neste ano, mais de projetos devem tramitar na Casa.

Além do início das sessões plenárias, esse período também marca a abertura da quarta e última sessão legislativa da 18ª legislatura da Assembleia Legislativa do Paraná.

Cada legislatura é formada por quatro sessões legislativas. No total, os 54 deputados que foram eleitos no ano de 2014 concluem os mandatos e permanecem nas cadeiras até o dia 31 de janeiro de 2019.

 

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*