Reunião na Câmara sobre o Plano de Recuperação proposto pela prefeitura foi cancelada após protesto de servidores

Foto: Reprodução Twitter CMC

Foto: Reprodução Twitter CMC

Um protesto de servidores municipais provocou o cancelamento da reunião extraordinária da Comissão de Legislação, Justiça e Redação da Câmara Municipal de Curitiba (CMC), na tarde desta segunda-feira (22). Os vereadores estavam analisando sete dos 12 projetos de lei que compõem o chamado Plano de Recuperação proposto pela prefeitura – um projeto de ajustes e cortes de gastos que afeta diretamente o funcionalismo público. A reunião começou às 15h. Com buzinas e balões, servidores ocuparam a sala das comissões para protestar contra as medidas da prefeitura. Na sala das comissões, a entrada havia sido limitada a três representantes de cada sindicato de servidores municipais. Os demais sindicalistas começaram então um buzinaço no corredor que dá acesso ao local e impediram a saída dos vereadores.

Alguns servidores também ocuparam o gabinete da presidência da Câmara Municipal. O plano prevê o congelamento de salários e planos de carreira do funcionalismo. Os sindicatos que representam os servidores acusaram os vereadores de promover manobras para tentar aprovar sete projetos de uma única vez na comissão. Os projetos foram enviados pelo poder executivo no fim do mês de março. Três das propostas retornam à discussão depois de pedidos de vista da vereadora Noemia Rocha, do PMDB, e Felipe Braga Côrtes, do PSD. As outras propostas entram pela primeira vez na pauta da Comissão. As matérias que retornam são as alterações na previdência dos servidores municipais; as mudanças em 75 itens do Código Tributário do Município; e o leilão de dívidas acima de R$ 200 mil. As mudanças no Instituto de Previdência dos Servidores do Município de Curitiba, o IPMC, são um dos itens que mais têm provocado polêmica. Foi justamente esta proposta que foi alvo de um pedido de vistas, por parte da vereadora Noêmia Rocha, na semana passada.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*