Vítima de atropelamento em Curitiba deve pedir indenização na Justiça

A família de uma das vítimas do atropelamento por uma moto no dia 7 de julho deve pedir na Justiça uma indenização por causa do acidente. A afirmação é do advogado Ricardo Amazonas, que representa Adriana Aparecida Melik, de 39 anos. A mulher está internada no Hospital do Trabalhador, em Curitiba; teve uma melhora no quadro de saúde; mas permanece sob cuidados médicos sem previsão de alta. E o advogado, que deve atuar como assistente da acusação, diz que já vem estudando as possibilidades em relação ao processo.

A prima de Adriana, Laura de Souza, de apenas oito anos de idade, também foi atingida no acidente. Ela está na UTI do Hospital Pequeno Príncipe. Ontem (12), a garota saiu do coma induzido, mas ainda inspira muitos cuidados. Uma terceira vítima é uma mulher de 88 anos, mas ela teve apenas ferimentos leves foi liberada em seguida.

O advogado explica que já teve contato com os detalhes do inquérito e que há provas contundentes contra Leonardo de Magalhães Fonseca, de 22 anos, que conduzia a motocicleta.

O rapaz perdeu o controle da moto ao realizar manobras na Avenida do Batel, em Curitiba. Ele também estava internado, mas sob escolta policial, e recebeu alta médica do Hospital Marcelino Champagnat na manhã desta sexta-feira (13). De lá, ele seguiu direto para a Delegacia de Delitos de Trânsito, para prestar esclarecimentos. Ao ser interrogado, ele permaneceu em silêncio e a informação é a de que o jovem só vai se manifestar sobre o caso em juízo.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*