Política

MP entra com ação contra Justus e Khury

O Ministério Público propôs hoje uma ação contra os ex-dirigentes da Assembleia Legislativa do Paraná, deputados Nelson Justus e Alexandre Khury. A ação vai contra as nomeações feitas pela Primeira Secretaria da Alep, entre os anos de 2007 e 2010. Quando os dois acusados assumiram as funções em 2007, haviam 22 cargos comissionados. No mês seguinte passaram a ser 42, e em 2009 esse número saltou para 378 servidores. O MP alega ainda que mais de 500 funcionários passaram pela Secretaria, sem nenhum controle sobre horário ou local de trabalho. A promotoria pede para que a justiça condene Justus e Khury por improbidade administrativa. Além disso solicita que os dois devolvam aos cofres públicos o valor de 5 milhões e 800 mil reais. Em outra ação também proposta nessa semana, o MP pede para que Abib Miguel, José Ary Nassif e Claudio Marques da Silva devolvam 25 milhões de reais ao estado. O dinheiro teria sido desviado com o método de funcionários “fantasmas”, dessa vez através das famílias Leal de Matos, Gbur e Bastos Pequeno.

Avatar

Band News Curitiba - 96,3 FM

A BandNews Curitiba está na cidade desde 2006. A emissora caiu no gosto do curitibano e, atualmente, está entre as dez rádios mais ouvidas da cidade.

Projeto propõe declarar religiões de matriz africana como patrimônio cultural

Projeto propõe declarar religiões de matriz africana como patrimônio cultural

Uma reunião pública na Câmara Municipal de Curitiba pretende debater o tema nesta quinta-feira (29)

Deepfake pode ser um desafio nas eleições

Deepfake pode ser um desafio nas eleições

Prazo para cadastro eleitoral encerra em 08 de maio

Vereadores aprovam moções contrárias às falas de Lula sobre Israel

Vereadores aprovam moções contrárias às falas de Lula sobre Israel

Votações na Câmara foram simbólicas, sem o registro nominal

Projeto sobre regra de numeração em imóveis ganha substitutivo geral

Projeto sobre regra de numeração em imóveis ganha substitutivo geral

Em caso de aprovação, os moradores terão 180 dias para se adequarem