Política

Nomes inusitados funcionam na hora de ganhar votos

Entre os candidatos tem até super herói que quer salvar o mundo com a força da fé. É Éverson Alves da Silva, o Clark Crente, do PDT. A campanha informal está bombando na internet, mas ele ainda espera a inpugnação de um dos candidatos pelo partido para conseguir uma das 20 vagas do PDT para vereador. O candidato,que é muito parecido com o super herói, conta como o apelido surgiu.

Mesmo com o nome de super-herói, Clark Crente sabe da difícil missão que terá pela frente. Mas conta com uma arma secreta.

Além de Clark Crente outros candidatos chamam a atenção do eleitor. Na campanha deste ano temos o Mestre Pop, Kafubira, Disney, Chico Fantasma, Sorriso, Zebrão, JJ da nossa Cauma Brasil. Sem contar aqueles que usam o apelido de profissão como por exemplo Adalmo Homem do Colchão, Paulo Ninja, Dentinho do Xapinhal,  o Barão da Kombi Verde, o  Givan do Uniforme e o Neguinho do Gás. Para o consultor em marketing Elói Zanetti, a estratégia de nomes diferentes funciona na hora de ganhar votos.

O eleitor acaba sendo atraído pelos nomes curiosos e pelas estratégias inusitadas, mas não deve se deixar levar pelo carisma dos candidatos. O importante é ficar atento às propostas de cada um.

Band News Curitiba - 96,3 FM

Eleições: inelegibilidade de Deltan não tem efeito imediato

Eleições: inelegibilidade de Deltan não tem efeito imediato

Condenação pelo TCU pode acarretar em inelegibilidade, mas após o escrutínio da Justiça Eleitoral

Concursos: projeto que reserva vagas para PCDs avança na CMC

Concursos: projeto que reserva vagas para PCDs avança na CMC

Projeto de lei atualiza legislação municipal para cumprir o que determina a Constituição Federal

TCU condena Dallagnol e Janot por diárias da Lava Jato

TCU condena Dallagnol e Janot por diárias da Lava Jato

Decisão pode tornar ambos inelegíveis. Dallagnol afirma que vai recorrer da decisão

CCJ nega recurso de Freitas sobre o prazo do julgamento

CCJ nega recurso de Freitas sobre o prazo do julgamento

Defesa aponta que Legislativo excedeu o tempo para julgar o vereador