Política

Vereadores de Rolândia saem escoltados de sessão

Em meio a um ano eleitoral, as Câmaras Municipais viraram palco de denúncias e conflitos internos. Em Rolândia, não é diferente. Os vereadores de oposição ao prefeito Johnny Lehmann (PTB) tiveram que sair escoltados da Câmara depois de rejeitaram sete projetos do Executivo que pretendiam vender 20 áreas públicas. Os projetos previam a permuta de doze áreas por terrenos para a construção de um cemitério municipal e de um centro cultural; e a venda de oito áreas públicas, com objetivo de arrecadar recursos para a ampliação de uma escola; a construção de três unidades básicas de saúde e de uma unidade de pronto atendimento (UPA). O prefeito participou na sessão, mas não conseguiu convencer os adversários a aprovar os projetos. De acordo com o vereador Zé de Paula (PSD), um dos que votaram contra os projetos, os parlamentares entenderam que a iniciativa do Administrativo Municipal era política.

Mais de 200 pessoas acompanhavam a sessão plenária. Os vereadores foram vaiados e ficaram com receio de deixar a sessão plenária. Eles tiveram que ser escoltados pela Polícia Militar.

A BandNews FM ligou para a Prefeitura de Rolândia, mas não conseguiu contato. O presidente da Câmara, José Danilson (PSB), que faz parte da base aliada do prefeito, confirmou que, ao final da sessão, os cinco parlamentares tiveram de ser ”acompanhados” pela polícia.

Band News Curitiba - 96,3 FM

Eleições: inelegibilidade de Deltan não tem efeito imediato

Eleições: inelegibilidade de Deltan não tem efeito imediato

Condenação pelo TCU pode acarretar em inelegibilidade, mas após o escrutínio da Justiça Eleitoral

Concursos: projeto que reserva vagas para PCDs avança na CMC

Concursos: projeto que reserva vagas para PCDs avança na CMC

Projeto de lei atualiza legislação municipal para cumprir o que determina a Constituição Federal

TCU condena Dallagnol e Janot por diárias da Lava Jato

TCU condena Dallagnol e Janot por diárias da Lava Jato

Decisão pode tornar ambos inelegíveis. Dallagnol afirma que vai recorrer da decisão

CCJ nega recurso de Freitas sobre o prazo do julgamento

CCJ nega recurso de Freitas sobre o prazo do julgamento

Defesa aponta que Legislativo excedeu o tempo para julgar o vereador