Somente 77% do público-alvo tomou a vacina contra a gripe no Paraná

Crianças, gestantes e pessoas com doenças crônicas são as que menos tomaram vacina contra a gripe até agora. Apenas 77% do público-alvo da campanha de imunização foi vacinado. A meta é vacinar 90% desse público. O menor índice de cobertura vacinal é registrado entre crianças de 6 meses a 4 anos de idade: somente 60,5% das 659 mil crianças que deveriam receber a vacina foram imunizadas.

Entre as gestantes, das 116 mil apenas 72 mil tomaram a vacina. E das 739 mil doses de vacina disponibilizadas para pessoas com doenças crônicas, pouco mais da metade foi aplicada. O grupo com maior alcance de vacinação é o de pessoas com mais de 60 anos. Mais de 1 milhão de doses da vacina foram aplicadas. Ainda assim, esse número representa 88,5% do total previsto – abaixo da meta a ser atingida.

É possível que entre o grupo prioritário haja pessoas que buscam a vacina na rede particular – e por isso não aparecem nos índices do Estado. Mas o diretor do centro estadual de epidemiologia, João Luis Crivellaro, acredita que de modo geral muitos ainda não se vacinaram de fato.

O único grupo que foi 100% imunizado é o de população indígena. Segundo a Secretaria da Saúde, foram aplicadas 16 mil doses da vacina a este segmento no Estado. No Brasil, o índice de cobertura deste público é de 63%.

Nas Regionais de Saúde do Paraná, apenas duas ultrapassaram a meta de 90% de alcance do público-alvo, estipulada pela Secretaria da Saúde. A regional de Jacarezinho, com 95%, e de Irati, com 90,6%. Entre as regionais com menores índices está a de Paranaguá, com 62,3%. As demais regionais ultrapassam 70% de cobertura vacinal. Segundo o último boletim da Secretaria Estadual da Saúde, 14 pessoas morreram por causa de gripe desde o início do ano.

Crivellaro destaca que entre as mortes, há pacientes que faziam parte do grupo prioritário, mas que não tinham se vacinado.

O fim da campanha de vacinação contra a gripe foi adiado para o dia 15 de junho. Prevista para terminar no dia 1º, a iniciativa já havia sido prorrogada até o dia 9 e ganhou um novo prazo depois da paralisação de caminhoneiros nas estradas no país. Segundo o Ministério da Saúde, a prorrogação se aplica a todos os Estados, também devido aos índices nacionais de cobertura vacinal.

Não existe indicativo de que uma nova prorrogação seja feita.

A média nacional de cobertura vacinal é de 66%. Para tomar a vacina contra a gripe, basta ir a uma unidade de saúde e apresentar um documento oficial. Em alguns casos, é necessário apresentar também um documento que comprove que o usuário se enquadra em algum dos públicos alvos definidos pelo Ministério da Saúde.

O público que pode tomar a vacina gratuita é formado por crianças de 6 meses até completar 5 anos; idosos com 60 anos ou mais; pessoas com doenças crônicas não-transmissíveis; gestantes; mulheres em pós-parto, até 45 dias após o nascimento do bebê; trabalhadores da saúde; professores e população indígena.

Deixe um Comentário Os comentários serão avaliados por um moderador. Comentários considerados inadequados, impróprios ou ofensivos não serão aprovados

*