COLUNAS

Colunistas // Mirian Gasparin

É hora de mapear os motivos que influenciam na desistência das compras online

 Taxa de abandono de carrinho continua alta

Foto: divulgação/Unsplash

As vendas no comércio eletrônico, que embora estejam crescendo a cada ano, têm como grande desafio, o abandono de carrinho. Pesquisa realizada pela Ve Interactive aponta que a taxa de abandono de carrinho no Brasil é de 83%, mas dependendo do setor, o índice pode chegar até 90%. Nos Estados Unidos, por exemplo, a taxa de abandono dos carrinhos é mais baixa e está em torno de 69%. 

E, neste momento, quando a Associação Brasileira de Comércio Eletrônico projeta que os pedidos online, só no período da Black Friday, devam superar a casa de 8 milhões, ou 3,5% a mais do que o registrado no ano passado, é fundamental mapear os principais motivos que estão influenciando na desistência da compra.  Este processo permitirá estar sempre um passo à frente da concorrência e, consequentemente, aumentar o faturamento do negócio.

Entre os principais motivos que têm levado os consumidores a desistir da compra antes de finalizá-la são a complexidade do cadastro, o preço do frete e a limitação nos meios de pagamentos.

Na avaliação de Jackson Araújo, que é diretor da Shokase, uma plataforma inovadora que vem ajudando micro e pequenas empresas a transformarem seus vendedores em consultores, o abandono de carrinho está conectado ao comportamento do consumidor e sua relação com a marca. Portanto, os lojistas precisam se atentar ao perfil do cliente, analisar a jornada de compra e torná-la simples e personalizada.

Em relação às medidas a serem tomadas pelos empreendedores, principalmente de pequeno porte, para diminuir o abandono de carrinho neste fim de ano, a primeira delas é revisar todos os processos de compra do negócio, como login, canais de atendimento, checkout e as formas de pagamento. O empresário deve apostar em formulários com perguntas curtas e objetivas, reduzir os pop-ups, banners e anúncios, afinal, quanto mais rápido e acessível for para o cliente concluir a compra, maior será a chance de vender.

No caso das taxas, como frete e juros, é essencial fazer uma revisão para garantir bons preços finais para os consumidores, evitando assim desistências. Outro ponto essencial é tornar as entregas mais ágeis. Quanto às opções de pagamento, elas devem ser ampliadas. O lojista que conhece o perfil do seu cliente pode dispor de formas de pagamento que mais são utilizadas pelo seu público. Com isso, o sucesso da venda está praticamente garantido.

Confira a coluna em áudio:

Mirian Gasparin