COLUNAS

Colunistas // Mirian Gasparin

Foto da Colunista Mirian Gasparin

Maioria dos clientes online é novo e tende a fazer compras mais regularmente

 E-commerce contribui para o aumento das vendas das papelarias

Foto: divulgação/Unsplash

Os dois primeiros anos de pandemia foram de grandes desafios para o mercado de papelaria devido à ausência da sazonalidade da volta às aulas e pela realização das aulas online. A redução do movimento financeiro dentro do segmento, principalmente nos primeiros meses do ano, exigiu resiliência dos fornecedores e varejistas para reajustar planos e investimentos no intuito de manter saudável as finanças das empresas.

Desde 2020, o comércio eletrônicotem sido um bom aliado do mercado do varejo em geral e isso fez com que os negócios se focassem na venda online, com grande aceitação dos consumidores. No caso específico das papelarias, ainda que não estejam entre os setores mais visados, uma vez que respondem por 2% das vendas do e-commerce, têm surfado bem essa onda. Em janeiro deste ano, por exemplo, a receita online das papelarias cresceu 38% em relação ao mesmo período de 2021. O desafio agora, claro, é manter o ritmo de crescimento.

Eu conversei com consultores de empresas e eles me explicaram que, antes da pandemia, muitas papelarias não ofereciam aos consumidores a opção de fazer suas compras online. Porém, com o isolamento social que forçou os trabalhadores a realizarem suas atividades em home office e os estudantes a terem aulas online, as papelarias, principalmente de pequeno e médio portes, se estruturaram para operar de forma digital.

Neste momento, que é considerado um período de baixa temporada, as vendas das papelarias apresentam redução, porém dentro da normalidade. No caso das vendas no comércio eletrônico, os empresários do setor apontam que este tipo de negócio também tem servido para acompanhar o perfil do público consumidor e está contribuindo para fidelizar os clientes, que em vez de ser pontual, passou a ser mais recorrente.  

Aliás, uma das constatações das papelarias é que a maioria dos clientes digitais são novos e com a comodidade do autoatendimento, tendem a fazer compras com maior regularidade.

Pesquisas apontam que o gasto médio dos consumidores com produtos de papelaria aumentou mais de 10%, e atinge um valor acima de R$ 700. Outra boa notícia é que o crescimento da venda de materiais de escritório e itens de papelaria não deve dar trégua nos próximos anos. Pelo menos, é o que prevê uma pesquisa da empresa KD Market Insights.

Segundo o levantamento, o mercado deve chegar a mais de R$ 240 bilhões de taxa de crescimento até 2023. De acordo com o estudo, o comércio eletrônico deve ser o maior aliado para o aumento das vendas do setor de papelarias.

Confira abaixo a coluna em áudio:

Foto da Colunista Mirian Gasparin

Mirian Gasparin