COLUNAS

Colunistas // Mirian Gasparin

Pequenos empreendedores têm dificuldade em calcular preços

 Qual o preço justo de um produto ou serviço?

Foto: reprodução/Pixabay

Definir o preço de venda de um produto ou de um serviço é algo que exige atenção e responsabilidade. Eu conversei com vários microempreendedores individuais e senti que a maioria tem dificuldade em fixar preços. A verdade é que definir o preço justo de venda não pode ser no chute, uma vez que poucos centavos a mais ou a menos podem salvar ou causar um grande estrago no caixa. Mas também não precisa ser operação complicada.

Para definir o preço adequado de venda de um produto ou serviço é preciso analisar o equilíbrio entre o preço de mercado e o valor dos custos e despesas totais. Para entender melhor este cálculo, vamos dar o exemplo de uma pequena confeitaria. Para produzir um bolo são gastos R$ 10 com os ingredientes e mais R$ 10 considerando o valor proporcional do salário da confeiteira e dos atendentes do balcão e do caixa. Além desses gastos, devem ser adicionadas as despesas com água, energia elétrica, gás e aluguel. que resultam no valor de mais R$ 5.  Com isso, o valor do bolo chega a R$ 25, sem considerar o lucro.

Então chegou a hora mais importante, que é determinar o lucro. Na concorrência, o bolo é vendido a R$ 40. Porém, para conquistar mais clientes e oferecer um preço mais competitivo, dá para vender a R$ 35, ou seja, um lucro de R$ 10 por unidade ou 40% de margem, conseguindo cobrir todos os valores gastos para a produção e venda.

No caso de estabelecer o preço de um serviço, também é preciso pensar no custo da produção e da venda.  É claro que existem algumas diferenças no caso de um varejo e de uma prestadora de serviços.

No caso de prestadores de serviços, a maior parte dos custos normalmente é com a mão de obra envolvida, pois o “produto” vendido é o tempo, conhecimento e serviço do profissional.

Imaginemos que o serviço é o de uma pequena empresa de comunicação que é contratada para desenvolver a identidade visual de uma escola. Para desenvolver as artes pedidas pelo cliente, foi somado o tempo investido no projeto pela equipe, que resultou num valor de R$ 5 mil, considerando a mão de obra. Além disso devem ser considerados os impostos e despesas fixas como internet, telefone, aluguel, água e luz. Fazendo uma conta simples, essas despesas somam R$ 1 mil. Para calcular o lucro, vamos supor que a margem esperada pela agência nesta prestação de serviço é de 25% sobre os custos. Isso dará um valor adicional de R$ 1250. Então o preço de venda desse serviço será de R$ 7.250. 

E esse valor deverá bancar não apenas os custos envolvidos na produção do que será vendido no serviço prestado, mas também as despesas existentes como impostos e infraestrutura, garantindo ainda a margem de lucro considerada.

Confira a coluna em áudio:

Mirian Gasparin